sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A MULHER DO CAPITÃO

A MULHER DO CAPITÃO

A Mulher do Capitão é o título do segundo livro que Ludgero do Nascimento dos Santos escreveu e a Alfarroba editou em Dezembro de 2010.
Num volume de 220 páginas, o autor serve um conteúdo de muito interesse. Atrevo-me a dizer que o seu fio condutor é, de certo modo o romantismo.
Porém bastantes nuances e peripécias fascinam o leitor, aqueles que forem mais emotivos, em certos passos da história podem chegar à lágrima no canto do olho, como me aconteceu.
A trama cujo cenário se desenvolve no tempo da Guerra Colonial, começa na Metrópole, passa por Angola e vem de novo acabar em Portugal, com um desfecho mais ou menos feliz.
Uma donzela extremamente bela, por conveniência, casa com um garboso capitão, mais velho, também mais por conveniência pessoal deste, visto que o interesse de ser casado era o de estar prestes a ser mobilizado e poder apresentar em público, uma fascinante mulher.


Visava com isso uma subida na carreira militar.
Em Angola, Diana apaixona-se por um alferes, mais de acordo com a sua idade, um homem romântico e uma jóia de pessoa.
Depois de a mulher ter pedido o divórcio, ainda por conveniência de subida na carreira militar, este só aceitaria depois de isso acontecer. No entanto ficaram a dormir em dependências separadas.
A partir daí Diana começou a dormir com o alferes Luís.
A determinada altura uma mulher casada com o Chefe de Posto local, também já se apaixonara pelo alferes, tendo sido rejeitada. Como era extremamente perversa traiu e numa operação militar, este é morto pelo próprio capitão.
Entretanto Diana engravidara de uma menina, filha do seu verdadeiro amor.
Os avós paternos aceitaram bem a existência da neta que protagonizava a recordação do filho perdido.
A seu tempo Diana regressa à Metrópole e acaba por receber uma grande herança de um familiar. Ela e filha também bonita ficam bem na vida.
Em termos gerais, como convém, ficam os dados para conduzir o leitor a procurar o livro na livraria mais próxima.
Vale a pena ler A MULHER DO CAPITÃO, uma novela comovente.

Daniel Costa