quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Princesa do Alentejo

VILA VIÇOSA
PRINCESA DO ALENTEJO


Pátria de gente ilustre, como a duquesa de Bragança ou a poetisa Florbela Espanca, Vila Viçosa foi também estância de figuras da mais alta linhagem que, ali construindo os seus palácios, contribuíram para que a localidade se viesse a transformar na orgulhosa Vila Museu e Princesa do Alentejo.
Mais antiga, poderemos porém, fixar o início da história desta nobilíssima vila, sede de concelho, do Distrito de Évora, em 1270, ano em que o rei D. Afonso II lhe deu foral.
Hoje poderemos, apreciar Vila Viçosa pelas suas praças largas, as ruas amplas e os belos monumentos, com saliência para o Paço Ducal, obra de várias gerações, iniciada em 1501 pelo duque D. Jaime, conservando dessa época parte das construções. A majestosa fachada principal, totalmente revestida de mármore, tendo em cada andar vinte e três janelas em correnteza, foi continuada pelos duques seus sucessores.
Já construído o palácio, aquando da aclamação de D. João IV, sofreu posteriormente algumas modificações, no tempo de D. João V e de D. Maria II.
No interior cinquenta salas visitáveis, guardam peças de preciosas colecções de arte e as raríssimas espécies bibliográficas que pertenceram a D. Manuel II. Pinturas dos maiores artistas portugueses do século passado, ourivesaria, tapeçarias, armaria antiga, etc.
Alberga ainda uma biblioteca com mais de 50.000 volumes, entre os quais, está a maior colecção de livros antigos da tipografia portuguesa.
Logo à entrada de Vila Viçosa está uma das mais belas praças de país, um espaço amplo com cerca de dezasseis mil metros quadrados. Antes de se chegar a esta magnífica sala de visitas, pode observar-se a esbelta porta dos Nós, símbolo do poder fidalgo dos Bragança e também a porta do Nó, antiga porta da vila.
Mas a monumentalidade da vila é uma constante, com o seu antigo castelo, as suas igrejas dos Agostinhos (onde se encontra o panteão dos Bragança), de S. Bartolomeu das Chagas, onde existe o triplico notável, atribuído a Cristóvão de Figueiredo, da Misericórdia, da Lapa, da Esperança, etc.
Também é famosa a magnífica tapada, toda murada, com um perímetro de 18 Km. que foi couto de caça dos reis de Portugal.
Vila Viçosa é terra de precioso mármore, que já os romanos vinham explorar.
Também terra, dos artesãos que, quer no mármore ou no estanho, criam verdadeiras obras de arte, bastante procuradas, pelo apreço que suscitam.
Na culinária da localidade, destacam-se os doces, que dão pelo nome de "tibornas de ovos" (receita do Convento da Esperança), feitos à base de gemas de ovos, amêndoa e chila ou abóbora.
A Vila dista duzentos e nove quilómetros de Lisboa


Daniel Costa - in FN - Flatelia e Numismática, da Afinsa do Porto - Janeiro 1992

3 comentários:

EternaApaixonada disse...

*****

Amigo Daniel

Quando escreveu em 1992, creio que não imaginavas o sucesso que teria Vila Viçosa em 2008!
Isto devido à homenagem recente à poetisa Florbela Espanca, que lhe rendeu centenas ou mais de postagens, na blogosfera.
Temos então suas duas pérolas sobre Vila Viçosa, um lindo poema datado de 08 de dezembro de 2008 e postado no DanielMilagres e esta narrativa encantadora que nos faz navegar pelas ruas de Vila Viçosa com riqueza de detalhes!

Este blog é uma homenagem à Portugal!
Parabéns!
E da minha parte meu obrigada por poder compartilhar com você essas memórias lindas!

Grande abraço e siga com a quinta feira com muita alegria e paz em seu coração!

*****

LUZIMAR disse...

Mbonita a historia de Vila viçosa, não conheço mas depois de ler gostaria muito de conhecer....

Parabéns pela linda homenagem.

Cheguei gostei, e voltarei sempre.


Beijos no coração.

oamorestanoarnomeular disse...

Uma mensagem e o desejo de uma linda semana.

A amizade começa quando, estando juntas, duas pessoas podem permanecer em silêncio sem se sentir constrangidas. (Tyson Gentry)


Um grande abraço.