domingo, 1 de fevereiro de 2009

neurologia

AVC - ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL

Pode ser tomado por ousadia, alguém falar de uma patologia, no caso AVC , que não seja neurologista.
Retorquir-se-à, que as questões médicas sendo do fórum de especialistas, todos os humanos são potenciais pacientes, com direito a relatar na primeira pessoa, a sua particular experiência.
Expresso o meu caso, que até certo ponto, identico ao que aconteceu a Ariel Charon, por ser único que encontrei com muitos contornos parecidos, tornado mediático, por o utente ser um dos políticos mais conhecidos do mundo actual, em virtude de velho conflito do Médio Oriente.
Ligava pouco a patologias e dessas apenas procurava saber os porquês, para poder aprontar ajuda.
De resto o vocabulário doenças não abalava o meu pensamento leigo e positivo, só me sugeria muitas serem "fabricadas" por mentes fracas.
Aconteceu já no ano de 2006, tendo sido criado O DIA DO AVC e a concomitante divulgação de que, a certíssima irmã morte serve-se da circunstância para ceifar diáriamente três almas.
No entanto o que me levou a prestar muita atenção a esta doença, foi o facto de a vinte e seis de Junho de 2000, depois de ter trabalhado das seis às nove da manhã, estando para tomar o pequeno almoço e tratar das habituais ablações, comecei a sentir, primeiro uma impressão no peito, depois mal estar!
Acudiu-me de imedito a esposa, com uma dose de àgua Mineral.Parecia sentir-me melhor, depois!...
Vim a conhecer o epílogo passados dois meses, quando aos poucos fui recuperando, para saber que durante um mês vegetei ligado a uma máquina em Santa Maria, período em que fui operado ao cerebelo, depois a tentativa de ser retirado o aparelho a ligar-me à vida, que sempre amei, daria mau resultado.
Passado um mês vieram os cuidados intensivos, as muitas visitas não me deixaram qualquer tipo de recordação. Apenas no dia de despedida vi filha e esposa, a quem já tinha sido entregue lista de locais apropriados para internamento terminal, os quais felizmente ousaram rejeitar.
Vieram ainda bastantes familiares e amigos visitar-me a casa, o que também não recordo.Depois de algum tempo, chegou a faculdade de recuperar alguns conhecimentos e memórias, o que já me permitia ir conhecendo familiares. Ao mesmo tempo queria saber toda a história recente, que protagonizei.
Pude também ler um relatório médico respeitante:
Ao terminar constatei que, a levar a essência a letra, nunca podia ser eu o leitor do documento, porque já estava ali implicita a voracidade que levaria mais uma vítima.
Desde l994 escrevia mensalmente na CRÓNICA FILATÉLICA da AFINSA de Madrid, só por três meses o trabalho esteve interrompido.
Este extracto tem por fim, alertar para que se pense, desde cedo usar o sempre recomendado método de prevenção, deminuido a possisilidade da doença.
No caso de não ser possivel evitá-la, em todas as circunstâncias, deve ser levado em linha de conta:
- Que o mundo não avance, sem a nossa tenaz luta para melhorá-lo, porque houve quem escrevesse: "Eleva-te a ti e elevarás a sociedade"!..
Extracto de um artigo respeitante a um caso real vivido pelo autor e publicado no "JORNAL DA AMADORA" em 02/09/2006.Daniel Costa

3 comentários:

Menina do Rio disse...

Somos tão vulneraveis. Precisamos estar atentos

Tem uma ótima semana, Daniel

Beijo

A. João Soares disse...

Elas, as doenças graves, umas vezes chegam de repente, sem qualquer aviso, outras avançam de vagar dando tempo para tomar medidas que evitem o pior. Mas nem sempre há esse cuidado que muitas vezes é apelidado de mariquice. Tive há dois anos um AIT e só lhe dei importância depois de se ter repetido e ser aconselhado a ir ao neurologista. Felizmente foi um alerta que não chegou a ser AVC mas que me levou a ter mais cuidado com a alimentação e tomar medicação para tornar o sangue mais fluido.
Caro Daniel, é bom aproveitarmos os blogues para melhorar a sensibilidade das pessoas para os cuidados de saúde.
Um abraço
A. João Soares

Val Du disse...

Oi, Daniel.

Com toda certeza você que passou pelo doença e se recuperou, pode falar com muita propriedade sobre o AVC.

Sabe, é uma imensa alegria saber que você venceu, está aí, firme e forte passando tantos conhecimentos pra nós, seus amigos e leitores.

Um forte abraço.